• Pesquisa Livre
  • Pesquisa
  • Pesquisa por ref.
  • Pesquisa Livre
  • Voltar

    Novos Empreendimentos Imobiliários, precisam-se!

    Novos Empreendimentos Imobiliários, precisam-se!

    thumbnail

    Novos Empreendimentos Imobiliários, precisam-se!

     

    Novos Empreendimentos

    Sem tirar importância à reabilitação de imóveis, sente-se falta de construção de raiz nova, para equilíbrio do sector imobiliário e a respectiva lei da oferta e da procura.

    Esta situação, coloca Portugal na linha de preocupação de Bruxelas, depois dos últimos dados divulgados pelo Eurostat, o sistema estatístico da União Europeia, revelam que em 2016, os preços das casas aumentaram 4,1% na zona euro e 4,7% na União Europeia, no que diz respeito ao quarto trimestre de 2016 em comparação com o período homólogo.

    Apesar dos números apresentarem um crescimento abaixo do registado em 2006, esta é a maior taxa de crescimento anual verificada desde 2009.

    Se olharmos para o índice de preços da habitação deflacionada (ou “real”), que é um dos indicadores utilizados no procedimento de desequilíbrio macroeconómico (PIM) da Comissão Europeia, 11 países registaram uma taxa de crescimento anual igual ou superior a 6%, valor identificado como de ‘alarme’ no contexto do PMI.

    Entre estes países encontram-se Portugal, assim como Bulgária, República Checa, Hungria, Letónia, Malta, Áustria, Roménia, Eslováquia, Suécia e Reino Unido.

    Apesar de Portugal estar no topo do ranking da Zona Euro com uma subida de 7,1% em 2016 - a quarta maior do euro, os especialistas nacionais são peremptórios em afirmar que não existe o perigo de uma ‘bolha’ imobiliária em Portugal.

    Os especialistas garantem ainda que esta métrica deve-se essencialmente a Zonas Prime da Capital onde os preços por metro quadrado aumentaram, mas nas demais zonas do País os preços no imobiliário mantém-se sem grandes alterações.

    Isto está a acontecer devido à lei da oferta e da procura! Apesar de ainda existirem muitos edifícios para reabilitar nas cidades, o que está a acontecer neste momento, é falta de imobiliário novo, projectos construídos de raiz com alguma dimensão, para os preços se voltarem a equilibrar.

    Mantenha-se atualizado subscreva a nossa newsletter e saiba em primeiro lugar as noticias do imobiliário. Clique aqui para subscrever.

     

    14-06-2017